Informações do Post - - Jonas Henrique - - 24 de novembro de 2017 | - 12:51 - - Home » - - 7 Comentários

Resenha: O Menino do Pijama Listrado – John Boyne

Capa do livro – Edição comemorativa

Uma das obras mais emocionantes que já li! O Menino do Pijama Listrado conta a história de duas crianças durante a Segunda Guerra Mundial em meio ao holocausto.  Bruno de nove anos, uma criança que assim como qualquer outra possui seus sonhos, suas necessidades e vê o mundo de uma forma pura, sem saber o que seu pai faz é surpreendido quando recebe a notícia que terá que se mudar de Berlim, deixar para trás a sua casa e amigos. Deixou a movimentada capital da Alemanha e junto de sua mãe e empregados foram parar numa região distante, uma casa isolada em um mundo completamente diferente daquele que estava acostumado a conviver.

Vivendo em um lugar com tão poucas coisas a fazer e sem nenhuma outra criança morando por perto, decide explorar a região do modo que estava acostumado a fazer em sua antiga casa, nessa sua aventura exploratória acaba conhecendo Shmuel, que curiosamente nasceu no mesmo dia que ele, vive usando um pijama listrado e está sempre do outro lado de uma cerca eletrificada e daí surge uma bela história de amizade em meio a tanta barbárie.

O autor criou uma obra espetacular, ele traz uma sensibilidade histórica ímpar! Criou uma amizade tocante e emocionante entre uma criança judia e um filho de um comandante nazista que está no comando de um campo de concentração.  O enredo envolvendo essas duas crianças é algo impressionante em cada um de seus detalhes, os diálogos demonstram o olhar de crianças puras, sem preconceitos e que inocentemente estão no meio de uma sangrenta guerra, o contraste entre as atitudes dessas crianças que não tem a noção exata do que está acontecendo em toda a Europa e a maldade presente nos adultos é algo que nos deixa em estado de choque.

Esta edição comemorativa dos dez anos de lançamento da obra, traz uma introdução inédita do autor e ficou muito bonita, ganhando um toque todo especial com as ilustrações de Oliver Jeffers. Este é um dos livros que nossos jovens devem ler,  não se trata apenas de uma boa narrativa ou de um mero entretenimento, a mensagem presente nessa obra é de extrema importância, relembrar fatos como estes são necessários para que horrores como os que ocorreram na Segunda Guerra jamais venham a se repetir. Mostra que é possível viver em harmonia respeitando e convivendo com as diferenças.

Ficha Técnica

Livro: O Menino do Pijama Listrado

Autor: John Boyne

Editora: Seguinte

Páginas: 320

Data de lançamento: Edição 2017




7 respostas para “Resenha: O Menino do Pijama Listrado – John Boyne”

  1. Miguel Gomes disse:

    Nunca li o livro, mas já vi o filme e chorei muito no fim!!

  2. Eu só conhecia o filme, ainda não cheguei a ler o livro, a história é bem comovente mesmo! abraços

  3. Thiago D. disse:

    Nunca nem vi o filme e nem o livro, mas tenho curiosidade de conhecer essa história e depois dessa resenha deu mais vontade ainda !

  4. Oiie,
    O que eu achei? eu nunca vi o livro antes rsrs e aparentemente o filme mas na sinceridade eu gostei sim sim parece ser bastante interessante vou pesquisar 😉

  5. Dynhofran disse:

    Oi, Jonas! Li há pouco tempo esse livro, posso dizer que lemos no mesmo período (amo, porque me achava um ET por não ter lido, rs.). É realmente de uma sensibilidade incrível essa história, que não só narra o cenário perturbador daquela época, como também o resultado desse caos na vida de uma criança.

    Vale muito a pena a leitura.

    Abraço.
    Diego, Blog Vida & Letras
    http://.blogvidaeletras.blogspot.com

  6. Oi tudo bemm? Já li esse livro e chorei horrores!!! Essa capa de edição comemorativa está lindissima!
    Bjs

  7. Alice Martins disse:

    Olá, tudo bem?

    Creio que este livro já tenha se tornado um clássico, pela sua história tocante e por representar uma época tão singela do Mundo. Ainda não tive a oportunidade de lê-lo, mas tenho muita vontade, pois parece ser simplesmente espetacular. Já assisti o filme e me emocionei bastante, então com a leitura, creio que a emoção seria o dobro.

    Beijos!

O que achou? Comente!