Informações do Post - - Jonas Henrique - - 16 de janeiro de 2019 | - 9:34 - - Home » - - Sem Comentários

Resenha: A Gramática do Amor – Rocío Carmona

Capa do livro

Sinopse do livro 

Romance de estreia de Rocío Carmona, que é também vocalista de uma banda indie de Barcelona, “A Gramática do Amor” é um convite à intertextualidade. O livro, que conquistou público e crítica na Espanha, vem ganhando traduções em diversos países ao contar a história de Irene, uma menina que vive sua primeira desilusão amorosa e que encontra em clássicos como García Márquez, Tolstói, Jane Austen e Murakami o entendimento para as suas emoções e a força para escrever a sua própria “gramática do amor”. Um comovente romance juvenil sobre a descoberta do amor, relacionamentos e o poder da literatura.

 

Tem um velho ditado que diz que “não se pode julgar um livro pela capa”, o que de fato é verdade, nem sempre uma bela capa reflete o conteúdo do livro, mas temos as nossas ressalvas, mesmo que A Gramática do Amor tivesse um enredo desinteressante e chato, e está longe ser isso, a sua capa tinha que estar exposta na estante de livros, é um projeto gráfico simples e ao mesmo tempo riquíssimo, uma verdadeira obra de arte que merece se exposta. Comecei falando sobre a capa, pois ela carrega em si a essência deste livro, com esse tom escuro, traços fortes e ao mesmo tempo sutis,  consegue levar a seu leitor toda a carga sentimental que está presente em seu conteúdo.

O livro escrito por Rocío Carmona traz a história de Irene, uma adolescente de 16 que, após o divórcio de seus pais acabou indo estudar em um internato no sul da Inglaterra. No internato, ela se apaixonou por um dos garotos mais populares da escola, mas acabou se desiludindo ao saber que ela era mais uma das “princesas especiais” na lista deste garoto. No de correr da trama o seu professor, Peter, percebendo que sua aluna estava passando por uma situação muito complicada resolve ajudá-la de uma forma inusitada, inclui Irene na aula extra de gramática, mas não uma aula de gramática comum, e sim na Gramática do Amor.  Irene recebeu a tarefa de ler 7 livros de romances, um por semana e ao final da leitura ela tinha que tirar alguma lição dessas histórias.

A autora conseguiu produzir uma obra cativante, um texto leve e reflexivo, um romance juvenil de encher os olhos. É algo muito interessante e inovador um livro que fala de outros livros, de romances históricos, como Orgulho e Preconceito de Jane Austen. Um ponto que tenho que destacar é o fato que nesta obra o enrede dos 7 livros é desvendado, ou seja, se você não leu alguma das obras que a autora citou, com certeza você vai ler muito spoiler, então muita atenção durante a sua leitura, já que em cada um dos trechos citados a personagem principal vai aprendendo e retirando deles importantes lições sobre o amor. Você vai se surpreendendo com a forma como a autora inclui os trechos de outros livros e o modo como os personagens vão se encaixando nas histórias, aliás, um ponto muito importante que temos que destacar, os personagens foram muito bem construídos, o modo como eles vão se relacionando com a história de Irene é muito peculiar, o que acaba cativando a atenção do leitor.

A Gramática do Amor traz um modo diferente de se falar de corações partidos e das desilusões do amor, o leitor vai aprendendo junto com a personagem as mais diversas formar de amar pela visão dos Romances clássicos e seus autores. Um livro que proporciona uma leitura leve, carregada de elementos, porém sem exageros, não há aquele excesso de momentos felizes e muito menos aquele drama carregado, trata-se de uma obra ideal para quem gosta de um bom romance.

 

Ficha Técnica

Livro: A Gramática do Amor

Autora: Rocío Carmona

Editora:  Rocco – Selo Jovens Leitores

Páginas: 264

Ano: 2013




 

 

O que achou? Comente!

Mais Visitados