Informações do Post - - Rotina Entrevista - - 20 de setembro de 2017 | - 10:50 - - Home » » - - 9 Comentários

Entrevista com Beatriz Castro, autora da Trilogia Sobrevivência

Olá amigos! Sejam todos bem-vindos a mais um Rotina Entrevista. E como alguns já devem saber, esse espaço é dedicado exclusivamente para os autores nacionais, estes guerreiros que estão lutando e conquistando seu espaço no mercado editorial brasileiro. A nossa entrevistada do mês é Beatriz Castro, autora da Trilogia Sobrevivência. E vamos começar conhecendo um pouco mais sobre essa autora.

Beatriz Castro

Beatriz Castro é formada em Letras (Português-Francês) pela UFRJ, atualmente cursando mestrado em Letras Clássicas na mesma instituição. Escritora de ficção científica e fantasia apaixonou-se pela leitura assim que aprendeu a ler aos quatro anos de idade. “Pietra” é o primeiro livro de sua trilogia já possui mais de 26 mil visualizações na plataforma Wattpad.

Antes de tudo gostaria de agradecer a Beatriz por disponibilizar um pouco de seu tempo para nos conceder essa entrevista. O nosso muito Obrigado. E Vamos direto para a entrevista!

Rotina Entrevista: Vamos começar com uma pergunta mais popular. Você já tinha o sonho de escrever um livro ou foi algo que surgiu de forma natural e espontânea após descobrir esse universo da leitura?

Beatriz Castro: Eu escrevo desde que comecei a aprender a ler quando tinha 4 anos,  mas a vontade de escrever mesmo surgiu quando li Harry Potter e a Pedra Filosofal,na época tinha 7 anos de idade. Ai eu escrevi um livro bobinho, coisa de criança, e as coisas foram evoluindo e mais ou menos entre 7 a 8 anos atrás, tive o sonho que deu origem ao livro Pietra, que o primeiro  livro da Trilogia Sobrevivência. E a partir dai finalmente consegui desenvolver. O livro realmente demorou em sair da minha mente para o papel, o reescrevi várias vezes até finalmente a história sair.

R.E: Quais foram as suas principais fonte de inspiração no processo de criação da história da Pietra, assim como nos demais livros da Trilogia?

Beatriz Castro: Eu acho que me baseei  um pouco na mitologia e lenda que envolve a história da Mulan chinesa, além disso, a  narrativa a gente pega um pouquinho de cada coisa que a gente lê. Eu lia vários livros de fantasia como de Martin, C. S. Lewis e vários outros autores, tanto internacionais quanto nacionais como Antônio Bandeira, Eduardo Spohr e tantos outros. Então basicamente os autores que me inspiraram foram autores nacionais e internacionais. Acho que tem muito de Julio Verne na questão de ficção e muito do que vemos em história, é como se fosse uma involução industrial, muito do que estudei em história também está presente é como se fosse uma volta ao passado em vez de uma progressão para o futuro.

R.E. : Você esperava que seus livros tivessem essa tamanha aceitação pelo público?

Beatriz Castro: Olha, eu ainda não considero assim como uma grande aceitação, estou muito no comecinho ainda. Mas eu fico muito, muito, muito feliz quando vejo com cada crítica positiva, mesmo as coisas que falam assim – ah, você deu uma erradinha aqui, você precisa melhor isso aqui – isso me deixa muito feliz, pois mostra que estou indo pelo caminho certo. A situação é complicada para o autor nacional, ainda mais para quem está começando e principalmente para quem é independente, que tem que fazer tudo por conta própria, é uma luta continua. Então cada vez  que a gente recebe do leitor um feedback positivo, nossa! Faz tudo valer a pena. Demorei muito para publicar justamente por ter medo de que tivesse uma aceitação negativa, mas até agora tudo tem sido uma experiência muito boa.

R.E. : Nos últimos anos houve um crescimento muito significativo no número de escritores brasileiros. Você acredita que os autores nacionais precisam de mais destaque, de mais estrutura e apoio?

Beatriz Castro: Apesar de já existir um crescimento muito grande, você vê que vários dos livros mais vendidos da Bienal, são nacionais. Ainda é complicado, ainda mais para quem não é Youtuber, para quem não está na grande mídia, quem está começando ainda possui dificuldades de encontrar apoio. Não só do próprio mercado, como dos familiares. Eu tive a sorte absurda de ter apoio de tudo quanto é lado. Mas o escritor ainda é visto como uma segunda opção, um bico, uma coisa como um hobby e não como uma profissão séria. Muita gente ainda acha que o livro nacional é ruim, é fraco, que não tem temas distintos que é algo mais do mesmo, então ainda é preciso mudar esse pesamento.

R. E. : Observo que seus livros abordam temas interessantes. Você espera passar algum tipo de mensagem para os leitores, principalmente os da Trilogia Sobrevivência?

Beatriz Castro:  Eu gosto da ideia de que após terminar de ler o livro, as pessoas fiquem um pouco com aquilo na cabeça. Meu livro traz questionamentos sobre meio ambiente,  destruição do planeta coisas que fazemos no dia a dia, a importância da literatura, questões sobre machismo e segregação social. Eu tento não ser óbvia demais, mas tratar de todos esses assuntos, até mesmo prostituição, temas mais pesados, mas de uma maneira mais leve. Tem momentos que o livro é bem pesado que até me deixou mal quando estava escrevendo, e as pessoas me mandam mensagens – Nossa como você pode deixar a personagem fazer aquilo! – A ideia é justamente deixar aquilo no subconsciente, para que as pessoas possam refletir um pouco sobre suas ações.

R. E. : Uma de suas obras que mais me chamou atenção foi o livro Belas Monstruosidades. Como surgiu a ideia para a criação dessa versão mais sombria dos contos de fada?

Beatriz Castro: Na verdade o primeiro conto, que é “Vermelho Como Sangue”, tinha sido escrito para uma antologia, que pedia qualquer variação de princesas dos contos de fada. E eu questionei, porque que agente não podia pegar a princesinha que todo mundo acha que é fofo, meiga, delicada e transformar ela mesma no vilão de sua própria história, a fazer virar um monstro. Então começou com a Branca de Neve, só que a editora que iria publicar a antologia acabou fechando. Eu fiquei com aquele conto guardado, no final do ano passado eu tinha que publicar algo por conta do mestrado, eu pensei assim – estou com esse conto guardado , vou fazer mais alguns e publicar sendo uma antologia minha, própria – Eu fiz mais alguns e publiquei na Amazon, só que as pessoas gostaram, acharam interessante, então resolvi lançar na forma física  junto com Pietra na Bienal do Rio.

Capa dos Livros Pietra, Killian e Belas Monstruosidades

R. E.: Falando em Bienal do Livro. Como foi sua participação? Foi a sua primeira vez como autora? Qual a sensação?

Beatriz Castro : Foi minha primeira experiência como autora na Bienal. E foi uma coisa incrível e assustadora ao mesmo tempo. Como sou independente, como já falei, eu e minha mãe tivemos que carregar todos o livros pra ir e depois trazer os que sobraram na volta, foi uma maratona de 11 dias super exaustivos, muito tempo em pé, são vários autores, você tem que chamar atenção pra conseguir atrair o público. Mas, ao  mesmo tempo, toda vez que chegava um amigo que já me conhecia  e que estava lá para me prestigiar ou quando conseguia conquistar um leitor novo, ele sorria, achava incrível ter uma autora ali autografando, a gente tirava foto e abraçava. Nossa! Isso valia cada bolha no pé, cada dia sem almoçar direito, foram momentos incríveis e estou ansiosa para ano que vem estar em São  Paulo. E isso vale para feiras pequenas, eventos pequenos quando alguém fala – Nossa você é autora de Pietra! – E diz que já tinha ouvido falar no livro em algum blog ou vídeo, isso já vale todo o esforço.

R. E. : O que te levou a publicar as suas obras de forma independente? Existe a possibilidade de algum dia o seus livros serem publicados por alguma editora?

Beatriz Castro: Então, foi uma opção pessoal. Eu cheguei a mandar Pietra para várias editoras, recebi algumas respostas positivas, a maioria delas para falar a verdade. Porém por uma questão de escolha na verdade, somente isso, preferi continuar independente. Porque, por enquanto eu consigo ter mais liberdade, posso fazer a publicação no momento que eu quiser,  já estou encaminhando Killian para a publicação. E como eu trato por vezes de alguns temas polêmicos, algumas editoras não são muito a favor disso e eu não queria mexer nas minhas histórias dessa forma. Claro que estou aberta  para criticas, mas tem muito editora que gosta de mexer nas coisas. E outra razão é uma questão de custo. A maioria delas cobram valores, isso é normal e lógico, são empresas. É necessário custear todos os passos da publicação eu não tenha essa verba no momento. Da forma independente  faço aos poucos, procurei profissionais do livro por conta própria e dessa forma acabou saindo mais em conta. Mas estou aberta às oportunidades, espero que um dia eu consiga uma publicação, de preferência tradicional, até porque é mais fácil para o autor ter o apoio da editora, e conseguir chegar às livrarias com mais facilidade e ter um apoio por trás na parte da divulgação é uma diferença muito grande em comparação quando você faz tudo por sua conta. Mas sim estou à espera de uma proposta ideal, enquanto isso, estou fazendo meu trabalho sozinha com a ajuda da família, amigos e outros autores.

R. E. : Essa é para matar a curiosidade dos leitores. Pietra já está lançada, pelo que vejo Killian também  já está próximo de ser lançado. Gostaria de saber se o segundo livro já tem data de lançamento e se você está trabalhando no ultimo livro da trilogia e se já existe alguma previsão de quando será lançado?

Beatriz Castro: Killian já está disponível no Amazon, quem quiser já pode adquirir o segundo livro da Trilogia. E Serafine, o terceiro livro,  está sendo lançado semanalmente no Wattpad, todas as segundas-feiras, já temos o prólogo e parte do primeiro capítulo lá.  Em relação a publicação física, a ideia é lançar Killian entre janeiro e fevereiro do próximo ano. E Serafine sair na Bienal de 2018 em São Paulo. Isso tudo é uma questão de planejamento, a gente ainda não sabe se será possível até por uma questão de custos. Eu dependo também dos leitores abraçarem essa ideia para que se torne realidade.

R. E. : Estamos chegando ao final de nossa entrevista, você pode deixar uma mensagem para os leitores que ainda não conhecem a Trilogia Sobrevivência e uma mensagem para aqueles que também querem seguir esse caminho como escritores.

Beatriz Castro: Para os leitores, para quem já lê e gosta vocês são maravilhosos, lindos, amo vocês! E para quem ainda não leu, convido para fazer uma experiência, pode ler alguns trechos no Wattpad, se você gostar, quem sabe? Estamos aí. Pode me chamar nas redes sociais, estou à disposição para conversar e tirar qualquer duvida existente.  Para quem está escrevendo e começando, tenho sempre os dois mesmo conselhos. Primeiro acreditar no que vocês  estão fazendo, se você não acreditar ninguém vai, então acreditem no foco de vocês. Segundo, estudem! Quando digo estudar não é apenas ortografia e gramática etc. Estude o tema do livro de vocês, do conto ou de sua poesia.  Estude leia, tente melhorar aquilo que você quer fazer. Não seja mais um a tentar escrever qualquer coisa e já ir mandando para a editora, achando que a as coisas acontecem assim, porque não são. É uma batalha diária, difícil pra caramba. Mas vale a pena, então é isso, não desistam e trabalhem porque de pouquinho em pouquinho a gente chega lá.

Então é isso pessoal! Espero que tenham gostado desta nossa segunda entrevista. Se gostou de conhecer um pouco sobre a autora e suas obras e tem interesse em adquirir alguns dos livros no formato digital, vamos deixar no final dessa publicação os links de cada livro no site da Amazon, todos em um preço super acessível ou você entrar em contato com a autora para adquirir as versões físicas de Pietra e Belas Monstruosidades através de sua página no Facebook.

Confira nossa resenha sobre o livro Pietra clicando AQUI

Links:

Página do Facebook : Trilogia Sobrevivência

Amazon:

Belas Monstruosidades – eBook Kindle

Pietra (Trilogia Sobrevivência Livro 1) – eBook Kindle

Killian (Trilogia Sobrevivência Livro 2) – eBook Kindle

 

 Quer conhecer um pouco mais do nosso trabalho? Nos siga nas redes sociais, Facebook e Instagram. 

Para dicas, sugestões e críticas entre em contato conosco através do nosso e-mail: [email protected]

Até a próxima!




9 respostas para “Entrevista com Beatriz Castro, autora da Trilogia Sobrevivência”

  1. Olá, parabéns pela entrevista, achei as perguntas e respostas bem pertinentes. Não conhecia a autora, nem suas obras, interessei-me por ambas, quando puder vou adquirir os livros, e é muito bom, ver autores nacionais se destacando, conquistando seu lugar no mercado e esbanjando qualidade!

    Abraços!

  2. Viajento disse:

    Legal dar essa oportunidade para os autores brasileiros contarem um pouco de sua história, obra, fontes de inspiração e outros detalhes interessantes!

  3. Fabio disse:

    Olá!
    Adorei a entrevista, já havia lido sobre os livros da autora e foi gostoso saber um pouco sobre os bastidores! O livro está em minha lista ainda para esse ano rs

    Abraço,
    http://lupiliteratus.blogspot.com.br/

  4. Eu não conhecia a autora pois realmente não tenho o hábito de ler no whatpad. Realmente não deve ser nada fácil as vezes tenho a impressão que para o autor é uma paixão e para as editoras apenas uma mercadoria. Parabéns pela coragem de publicar independente e boa sorte.

  5. Esther disse:

    Olá, tudo bem?
    Nao conhecia a autora, mas já tinha visto o livro “Pietra”. Ainda nao tive a oportunidade de lê-lo, mas ta na lista. Amei a entrevista, é essencial apoiarmos nossos autores nacionais.
    Beijos!

  6. Olá! Gostei muito da forma como você conduziu a entrevista.
    Eu não conhecia a autora, mas fiquei encantado com as capas da Trilogia Sobrevivência.
    Vou ler algumas resenhas do primeiro volume para conhecer mais a história dos livros.

    Abraço!

  7. Oii eu não conhecia a autora, e adorei conhecê-la melhor. Também sou estudante de letras. Essas capas dos livros são muito lindas. Já quero

    Beijos

  8. andy8juuh disse:

    Gostei muito da entrevista, parabéns. Amo conhecer os autores e ela é uma fofa.
    Beijos

  9. Olá.
    Que ótimo conhecer mais uma pessoa que batalha pelo espaço literário independente. Sei o quanto seja difícil tomar esse lugar com a grande falta de oportunidade que as próprias editoras tiram deles. Curti a entrevista e obrigado pela apresentação. Gosto da forma como ela explica as coisas e creio que irei sim querer ler a obra dela. Gostei muito. <3

Deixe uma resposta para Fabio Cancelar resposta

Mais Visitados