Informações do Post - - Jonas Henrique - - 4 de dezembro de 2017 | - 4:22 - - Home » » » - - Sem Comentários

10 sugestões de livros para presentear alguém nas festas de fim de ano

O ano de 2017 está chegando ao final, e com ele vem muitas festas, muitos momentos de confraternização entre amigos, familiares, colegas de trabalho e é nesta época do ano todos iniciamos uma luta na busca por algum presente, seja para presentar um familiar, amigo, colega de trabalho ou de escola nos tradicionais amigos secretos ou até mesmo os presentes de natal. Cada um de nós sabe o quanto é difícil encontrar algo que possa agradar, mas existe um tipo de presente que sempre é bem aceito e na grande maioria das vezes a gente acerta no gosto no pessoa, estou falando de nossos amados livros, eles sempre são uma boa opção para se presentear alguém e é pensando nisso que separamos algumas dicas para você. Confira:

1 – Para quem gosta de Trilogias 

Se você tem um amigo(a) que gosta de trilogias a gente traz como dica principal a Trilogia O Século, de Ken Follett. Mas se esse não for muito o estilo da pessoa que irá presentar também temos como dica a Trilogia Lar da Srta. Peregrine de Rasom Riggs, Trilogia Comando Sul de Jeff Vandermeer e Trilogia das Flores de Nora Roberts

Queda de Gigantes – Vol.1

Cinco famílias, cinco países e cinco destinos marcados por um período dramático da história. Queda de Gigantes, o primeiro volume da trilogia O Século, do consagrado Ken Follett, começa no despertar do século XX, quando ventos de mudança ameaçam o frágil equilíbrio de forças existente – as potências da Europa estão prestes a entrar em guerra, os trabalhadores não aguentam mais ser explorados pela aristocracia e as mulheres clamam por seus direitos.
De maneira brilhante, Follett constrói sua trama entrelaçando as vidas de personagens fictícios e reais, como o rei Jorge V, o Kaiser Guilherme, o presidente Woodrow Wilson, o parlamentar Winston Churchill e os revolucionários Lênin e Trótski. O resultado é uma envolvente lição de história, contada da perspectiva das pessoas comuns, que lutaram nas trincheiras da Primeira Guerra Mundial, ajudaram a fazer a Revolução Russa e tornaram real o sonho do sufrágio feminino. Ao descrever a saga de famílias de diferentes origens – uma inglesa, uma galesa, uma russa, uma americana e uma alemã -, o autor apresenta os fatos sob os mais diversos pontos de vista.
Na Grã-Bretanha, o destino dos Williams, uma família de mineradores de Gales do Sul, acaba irremediavelmente ligado por amor e ódio ao dos aristocráticos Fitzherberts, proprietários da mina de carvão onde Billy Williams vai trabalhar aos 13 anos e donos da bela mansão em que sua irmã, Ethel, é governanta. Na Rússia, dois irmãos órfãos, Grigori e Lev Peshkov, seguem rumos opostos em busca de um futuro melhor. Um deles vai atrás do sonho americano e o outro se junta à revolução bolchevique. A guerra interfere na vida de todos. O alemão Walter von Ulrich tem que se separar de seu amor, lady Maud, e ainda lutar contra o irmão dela, o conde Fitz. Nem mesmo o americano Gus Dewar, o assessor do presidente Wilson que sempre trabalhou pela paz, escapa dos horrores da frente de batalha.

O Inverno do Mundo – Vol.2

O inverno do mundo começa exatamente onde o primeiro livro terminou, quando as 5 famílias inter-relacionadas – Americana, Alemã, Russa, Inglesa, Galês – inseridas em um tempo de enorme turbulência social, política e econômica, com o surgimento do terceiro Reich, através da guerra Civil Espanhola e dos grandes dramas da segunda guerra mundial, e além disso com as explosões das bombas atômicas Americanas e Soviéticas.

Eternidade por um Fio – Vol.3

Durante toda a trilogia “O Século”, Ken Follett narrou a saga de cinco famílias: americana, alemã, russa, inglesa e escocesa. Agora seus personagens vivem uma das épocas mais tumultuadas da história, a enorme turbulência social, política e econômica entre as décadas de 1960 e 1980, com a luta pelos direitos civis, assassinatos, movimentos políticos de massa, a guerra do Vietnã, o Muro de Berlim, a Crise dos Mísseis de Cuba, impeachment presidencial, revolução… e rock and roll!
Na Alemanha Oriental, a professora Rebecca Hoffman descobre que durante anos foi espionada pela polícia secreta e comete um ato impulsivo que afetará sua família para o resto de suas vidas.
George Jakes, filho de um casal mestiço, abre de mão de uma brilhante carreira de advogado para trabalhar no Departamento de Justiça de Robert F. Kennedy e acaba se vendo não só no meio do turbilhão da luta pelos direitos civis, como também numa batalha pessoal.
Cameron Dewar, neto de um senador, aproveita a chance de fazer espionagem oficial e extraoficial para uma causa em que acredita, mas logo descobre que o mundo é um lugar muito mais perigoso do que havia imaginado.
Dimka Dvorkin, jovem assessor de Nikita Khruschev, torna-se um agente primordial no Kremlim, tanto para o bem quanto para o mal, à medida que os Estados Unidos e a União Soviética fazem sua corrida armamentista que deixará o mundo à beira de uma guerra nuclear.
Enquanto isso, as ações de sua irmã gêmea, Tanya, a farão partir de Moscou para Cuba, Praga Varsóvia e para a história.
Como sempre acontece nos livros de Ken Follett, o contexto histórico é brilhantemente pesquisado, a ação é rápida, os personagens são ricos em nuances e emoção. Com a mão de um mestre, ele nos leva a um mundo que pensávamos conhecer, mas que nunca mais vai nos parecer o mesmo.

2 – Para quem gosta de Aventura 

Para os amantes de uma boa aventura nos temos um lançamento de 2017, o livro Crueldade de  Scott Bergstrom.  

O mundo de Gwendolyn Bloom vira de cabeça para baixo quando seu pai desaparece durante uma viagem de trabalho. Ela logo descobre que ele não é o homem que, por dezessete anos, achou que fosse — e essa é só a primeira de muitas revelações que Gwendolyn terá pela frente. Sem poder contar com a ajuda de mais ninguém para encontrá-lo, a garota parte em uma jornada tão perigosa quanto alucinante, seguindo os rastros do pai pela Europa. Porém, para se infiltrar — e sobreviver — em um novo mundo cheio de maldade e perversão, ela precisará deixar toda a sua vida para trás, assumir uma nova identidade e se tornar alguém tão cruel quanto seus piores inimigos.

3 – Para quem gosta de Literatura Fantástica 

Caraval de Stephanie Garber é um bom livro para os que gostam de viajar no mundo da fantasia.

Scarlett nunca saiu da pequena ilha onde ela e sua irmã, Donatella, vivem com seu cruel e poderoso pai, o Governador Dragna. Desde criança, Scarlett sonha em conhecer o Mestre Lenda do Caraval, e por isso chegou a escrever cartas a ele, mas nunca obtivera resposta. Agora, já crescida e temerosa do pai, ela está de casamento marcado com um misterioso conde, e certamente não terá mais a chance de encontrar Lenda e sua trupe, mas isso não a impede de escrever uma carta de despedida a ele. Dessa vez o convite para participar do Caraval finalmente chega à Scarlett. No entanto, aceitá-los está fora de cogitação, Scarlett não pretende desobedecer ao pai. Sendo assim, Donattela, com a ajuda de um misterioso marinheiro, sequestra e leva Scarlett para o espetáculo. Mas, assim que chegam, Donattela desaparece, e Scarlett precisa encontrá-la o mais rápido possível. O Caraval é um jogo elaborado, que precisa de toda a astúcia dos participantes. Será que Scarlett saberá jogar? Ela tem apenas cinco dias para encontrar sua irmã e vencer esta jornada.





4 – Para quem gosta de Refletir 

Duas ótimas dicas, um clássico O Sol é Para Todos de Harper Lee e Garotas de Vidro de  Laurie Halse Anderson.

Um livro emblemático sobre racismo e injustiça: a história de um advogado que defende um homem negro acusado de estuprar uma mulher branca nos Estados Unidos dos anos 1930 e enfrenta represálias da comunidade racista. O livro é narrado pela sensível Scout, filha do advogado. Uma história atemporal sobre tolerância, perda da inocência e conceito de justiça. ‘O Sol é Para Todos’, com seu texto “forte, melodramático, sutil, cômico” (The New Yorker) se tornou um clássico para todas as idades e gerações.

“Lia e Cassie são amigas há anos, ambas congeladas em seus corpos. No entanto, em uma manhã, Lia acorda com a notícia de que Cassie está morta, e as circunstâncias de sua morte ainda são um mistério. Não bastasse isso, Cassie tentara falar com Lia momentos antes, para pedir ajuda.

Lia tem de lidar com o pai, que é um renomado escritor, sua madrasta e a mãe, uma cardiologista que vive ocupada, salvando a vida dos outros. Contudo, seu maior tormento é a voz dentro de si mesma, que não a deixa se esquecer de manter o controle, continuar forte e perder mais, sempre perder mais, e pesar menos. Bem menos.”

5 – Para quem gosta de Rir 

Dunny . Meu livro. Eu que escrevi de Raony Phillips é garantia de boas risadas.

Duny (lê-se Dani) é uma celebridade de alcance mundial, alçada ao estrelato por seu imenso talento, inteligência, classe e beleza incomparáveis. Ou, pelo menos, era isso o que ela esperava da vida — que, no caso de Duny, se resume basicamente a um loop infinito de lacres, barracos e baixarias cometidos em busca da fama. Meu livro. Eu que escrevi é o maior deles.
Conhecida dos fãs principalmente por trabalhar e morar na Pensão da Tia Ruiva e ser uma das estrelas da websérie Girls in the House, Duny hoje comanda também o reality show investigativo Disk Duny e é comentarista on-line de premiações como o Oscar e o Grammy para uma grande rede de TV, mas ela já passou por muita coisa nessa vida: da humilhação pública de fazer agachamentos em trajes sumários num programa de auditório a fingir que suporta crianças só para ser babá da filha de uma artista famosíssima e ficar um tantinho mais perto dos maiores nomes da música pop.
Se valeu a pena? Para Duny, ainda vamos saber. Mas, para quem lê essa autobiografia recheada do início ao fim com o melhor da ironia (ou grosseria) moderna e total ausência de preciosismo vernacular, vale cada página.

6- Para quem gosta de Romance 

Se você gosta de JoJo Moyes com certeza vai amar Eu Sem Você de Kelly Rimmer.  

”Eu sem você” é um livro que nos faz sorrir, chorar e lembrar de ficar bem perto de quem amamos.

Há um ano, conheci o amor da minha vida. Para duas pessoas que não acreditavam em amor à primeira vista, até que Lilah e eu chegamos bem perto de dizer que isso aconteceu conosco.

Eu tinha um bom emprego em uma agência de publicidade e não fazia outra coisa além de trabalhar. Era incapaz de tomar decisões sobre meu futuro e minha casa inacabada e não sabia aproveitar a vida. Até conhecer Lilah. Lilah MacDonald era uma advogada ambientalista linda e decidida – e, para minha surpresa, detestava usar sapatos. Era uma pessoa tão maravilhosa que é até difícil descrevê-la.

Nosso relacionamento não poderia ser mais improvável, mas me transformou profundamente. Comecei a enxergar as coisas de outra forma e a redescobrir antigas paixões. Lilah me ensinou a viver outra vez e a aproveitar ao máximo tudo o que a vida tem a oferecer. Ela me proporcionou momentos incríveis, mas também manteve em segredo algo que partiu meu coração. Ainda assim, se há uma coisa que aprendi com Lilah é que o amor pode curar qualquer ferida. Meu nome é Callum Roberts e esta é a nossa história.

7 – Para quem gosta de Thrillers com muito Mistério e Suspense 

Temos duas dicas que com certeza vão te agradar Em Águas Sombrias de Paula Hawkins e Dexei Voce Ir de Clare Mackintosh. 

Novo livro da autora do best-seller internacional A garota no trem. Com a mesma escrita frenética e a mesma noção precisa dos instintos humanos que cativaram milhões de leitores ao redor do mundo, Paula Hawkins nos presenteia com uma leitura vigorosa e que supera quaisquer expectativas, partindo das histórias que contamos sobre nosso passado e do poder que elas têm de destruir a vida que levamos no presente. Nos dias que antecederam sua morte, Nel ligou para a irmã, Jules, que não atendeu o telefone e simplesmente ignorou seu apelo por ajuda. Agora Nel está morta. Dizem que ela se suicidou. E Jules foi obrigada a voltar ao único lugar do qual achou que havia escapado para sempre. Mas ela está com medo. De seu passado há muito enterrado e por saber que Nel jamais teria se jogado para a morte. E, acima de tudo, ela está com medo do rio, e do trecho que todos chamam de Poço dos Afogamentos…

Tudo aconteceu tão rápido. Ela não teria sido capaz de impedir. Ou teria?

Quando Jacob morre atropelado em uma rua de Bristol, Inglaterra, depois de ter soltado a mão da mãe em um dia chuvoso, o motorista do carro que o atinge acelera a foge. Desvendar sua morte vira um caso para o detetive Ray Stevens e seus colegas, Kate e Stumpy. Determinado a encontrar o assassino, Ray se vê consumido a ponto de colocar tanto a vida profissional quanto a pessoal em jogo.

Jenna, assombrada pela morte do menino, abandona tudo e se muda para uma pequena cidade costeira do País de Gales. Ela passa os dias em seu chalé tentando esquecer as lembranças do terrível acidente e aos poucos começa a ter algo parecido com uma vida normal e vislumbrar a felicidade em seu futuro. Mas o passado vai alcançá-la, e as consequências serão devastadoras.

De vários pontos de vista, a ex-detetive Mackintosh faz um retrato preciso de uma investigação policial. Com sua excelente habilidade de escrita, consegue criar personagens memoráveis e uma análise arrebatadora das excentricidades da vida em uma cidade pequena. Mas o verdadeiro talento da autora é a maneira como ela incorpora reviravoltas em uma trama já complexa. Mesclando suspense, investigação policial e thriller psicológico, Clare Mackintosh disseca a mente de seus personagens enquanto tece inesperadas conexões entre eles.




8 – Para quem gosta de Clássicos 

Difícil escolher entre os clássicos, mas chegamos ao consenso e nossa dica vai para o excelente Madame Bovary de  Gustave Flaubert

Considerado por muitos críticos e estudiosos como a maior realização do romance ocidental, ‘Madame Bovary’ trata da desesperança e do desespero de uma mulher que, sonhadora, se vê presa em um casamento insípido, com um marido de personalidade fraca, em uma cidade do interior. Publicado originalmente em capítulos de jornal, em 1856, o romance mostra o crescente declínio da vida – interna e externa – de Emma Bovary, que figura na literatura ocidental no mesmo degrau que Dom Quixote, o personagem de Cervantes. Ambos não se conformam com a realidade em que vivem e tanto o cavaleiro da triste figura quanto a desolada dona-de-casa oscilam entre o status de herói e de anti-herói.
Madame Bovary é sem dúvida a obra-prima de Gustave Flaubert (1821-1880), escritor francês que como nenhum outro na literatura ocidental levou o estilo à perfeição, reescrevendo inúmeras vezes o texto e procurando, como um artesão, o melhor encaixe das palavras. Flaubert identificou-se de tal forma com a sua protagonista que declarou: ‘Madame Bovary, c’est moi’ (Madame Bovary é eu). Na sua maior obra, o escritor atingiu um grau de penetração dentro da mente da personagem principal como nunca ocorrera até então e abriu caminho para as aventuras psicológicas dos modernistas como Virginia Woolf, Marcel Proust, Clarice Lispector e James Joyce. Não por coincidência, Proust considerava Flaubert como um escritor de ruptura, por ter dado sentido e substância ao romance de análise psicológica.

9 – Para os que gostam de Clássicos Nacionais 

Para os amantes de clássicos nacionais temos como dica os livros Gabriela, Cravo e Canela de Jorge Amado e O Coronel e o Lobisomem José Cândido de Carvalho.

O romance entre o sírio Nacib e a mulata Gabriela, um dos mais sedutores personagens femininos criados por Jorge Amado, tem como pano de fundo, em meados dos anos 1920, a luta pela modernização de Ilhéus, em desenvolvimento graças às exportações do cacau. Com sua sensualidade inocente, Gabriela não apenas conquista o coração de Nacib como também seduz um sem-número de homens ilheenses, colocando em xeque a lei que exigia que a desonra do adultério feminino fosse lavada com sangue.
Publicado em 1958, o livro logo se tornou um sucesso mundial. Na televisão, a história se transformou numa das novelas brasileiras mais aclamadas mundo afora.

O coronel e o lobisomem, publicado originalmente em 1964, é a obra-prima de José Cândido de Carvalho. Nele, acompanhamos a história e as histórias do coronel Ponciano de Azeredo Furtado, membro da Guarda Nacional, em meio a aventuras divertidas e inusitadas – com direito a onças, sereias e, claro, um lobisomem – pela região de Campos de Goitacazes. Aventuras essas narradas pela inovadora linguagem de José Cândido, que aprimora as experiências rosianas e cria um estilo próprio e inimitável. O livro é o primeiro da série de reedições das obras completas do autor, como novo projeto gráfico, pela Editora José Olympio. Para Rachel de Queiroz, “com O coronel e o lobisomem, José Cândido deu vida nova ao regionalismo brasileiro. Até então parecia que alguém querendo apresentar o homem do interior, sua vida, seus amores, suas lembranças e problemas, teria que inventar fórmula diferente, porque o velho romance regional, o velho conto, supostamente não tinha mais nada para dar. (…) E vem agora José Cândido de Carvalho provar que, havendo crânio, talento, boa boca, nenhum assunto está esgotado ou morto.” A obra foi duas vezes adaptada para o cinema (em 1979 e 2005) e outras duas para a televisão (como telenovela da Tv Cultura em 1982 e especial da Tv Globo em 1995, dirigido por Guel Arraes). Com O coronel e o lobisomem, de José Cândido de Carvalho, a José Olympio – que publica, entre outros, Rachel de Queiroz, José Lins do Rego, Ariano Suassuna, Ferreira Gullar, Raul Bopp, Aníbal Machado, Campos de Carvalho e Mário Palmério – segue em seu projeto de reeditar os maiores autores da literatura brasileira.

10 – Para os amentes da Literatura Nacional 

Existe um grande número de obras nacionais publicadas nos últimos anos e por isso vamos dar um destaque um pouco maior para a nossa literatura com 5 dicas. Claro que há outros autores com obras muito bem escritas e histórias incríveis dos quais gostaria de citar, mas seria impossível listar mais nomes, ficaria um texto muito mais extenso do que já está.

Ninguém Nasce Heroi de Eric Novello 

Num futuro em que o Brasil é liderado por um fundamentalista religioso, o Escolhido, o simples ato de distribuir livros na rua é visto como rebeldia. Esse foi o jeito que Chuvisco encontrou para resistir e tentar mudar a sua realidade, um pouquinho que seja: ele e os amigos entregam exemplares proibidos pelo governo a quem passa pela praça Roosevelt, no centro de São Paulo, sempre atentos para o caso de algum policial aparecer. Outro perigo que precisam enfrentar enquanto tentam viver sua juventude são as milícias urbanas, como a Guarda Branca: seus integrantes perseguem diversas minorias, incentivados pelo governo. É esse grupo que Chuvisco encontra espancando um garoto nos arredores da rua Augusta. A situação obriga o jovem a agir como um verdadeiro super-herói para tentar ajudá-lo – e esse é só o começo. Aos poucos, Chuvisco percebe que terá de fazer mais do que apenas distribuir livros se quiser mudar seu futuro e o do país.

O Doce Sabor da Vingança de Paula Toyneti Benalia 

Julie não é uma garota comum, afinal, a vida nunca foi muito justa com ela. Abandonada pelos pais na infância, ficou aos cuidados da avó, que sempre lutou por uma boa educação para a neta. Na escola, sempre foi vítima de preconceitos e teve poucos amigos. Quando a amiga mais próxima a engana, o garoto por quem sempre foi apaixonada a humilha e a avó morre, Julie se vê sozinha e com um único propósito: se vingar. Dez anos depois, ela tem certeza de que está preparada para dar o troco, quando descobre que o garoto que a humilhou se tornou um homem importante no mundo dos negócios e está contratando uma nova assistente pessoal, vaga que ela vai preencher. Joe Hesgher nunca se lembraria daquela garota que maltratou, só que não consegue tirar da cabeça a nova assistente pessoal. A mulher de rosto angelical está tirando seu sossego. Acostumado a ter todas as mulheres que deseja, garante que dessa vez não será diferente. Mas quando o amor está envolvido, as certezas se tornam as maiores armadilhas. Dividida entre o amor e a vingança, ela descobre que precisa dele mais do que do próprio ar, mas para vencer as dificuldades e consertar as coisas, eles terão de superar o passado e construir um futuro.





Menina Veneno de Carina Rissi 

Julie não é uma garota comum, afinal, a vida nunca foi muito justa com ela. Abandonada pelos pais na infância, ficou aos cuidados da avó, que sempre lutou por uma boa educação para a neta. Na escola, sempre foi vítima de preconceitos e teve poucos amigos. Quando a amiga mais próxima a engana, o garoto por quem sempre foi apaixonada a humilha e a avó morre, Julie se vê sozinha e com um único propósito: se vingar. Dez anos depois, ela tem certeza de que está preparada para dar o troco, quando descobre que o garoto que a humilhou se tornou um homem importante no mundo dos negócios e está contratando uma nova assistente pessoal, vaga que ela vai preencher. Joe Hesgher nunca se lembraria daquela garota que maltratou, só que não consegue tirar da cabeça a nova assistente pessoal. A mulher de rosto angelical está tirando seu sossego. Acostumado a ter todas as mulheres que deseja, garante que dessa vez não será diferente. Mas quando o amor está envolvido, as certezas se tornam as maiores armadilhas. Dividida entre o amor e a vingança, ela descobre que precisa dele mais do que do próprio ar, mas para vencer as dificuldades e consertar as coisas, eles terão de superar o passado e construir um futuro.

O Garoto do Cachecol Vermelho de Ana Beatriz Brandao

Uma história comovente, recheada de drama, suspense e romance Melissa é uma garota linda, rica e mimada, que sempre consegue o que quer e tem todos na palma da mão. Ela acredita que a carreira de bailarina é a única coisa que realmente importa, porém suas certezas são abaladas quando faz uma aposta com um garoto misterioso, que parece ter como objetivo virar sua vida de cabeça para baixo. De repente, Melissa se vê dividida entre dois caminhos- realizar seu maior sonho, pelo qual batalhou a vida inteira, ou viver um grande amor. Mas, não importa aonde ela vá, todas as direções apontam para o garoto do cachecol vermelho… Com esta história intensa e apaixonante, Ana Beatriz Brandão vai emocionar e surpreender o leitor, provando que é uma jovem autora que tem muito a dizer.

Notas de Liberdade Fred Elboni 

Mariana vive lutando pelo direito de ser ela mesma: um tanto desbocada, livre e maluquinha.
Sofia está descobrindo o mundo, aprendendo a amar e, mais que tudo, aprendendo como é perder alguém que se ama. Luiza está naquela fase de olhar para trás e ver se a vida valeu a pena. O sucesso é mesmo tudo na vida? Três mulheres muito diferentes em busca da mesma coisa: seu lugar no mundo. Em “Notas de liberdade”, Fred dá voz a essas personagens e nos leva a mergulhar no mundo de cada uma – e, por reflexo, no nosso próprio mundo também. O que elas conversam com o teto do quarto antes de dormir? Quais são seus sonhos, seus medos, suas dores? O que afinal realmente importa?




O que achou? Comente!